TERÇA-FEIRA, 29 DE SETEMBRO DE 2020

Veja Como Os Vírus De Animais São Transmitidos Para Humanos

Publicidade

De modo geral, quando os animais estão doentes não conseguem infectar os seres humanos. Contudo quando isso acontece, algumas infecções entre determinadas espécies, acabam desencadeando os saltos virais de hospedeiros com alto potencial de produção de epidemias mortais aos humanos. Dessa forma ainda existem muitas duvidas entre as pessoas pela escassez de informações sobre o assunto. Afinal não se sabe ao certo como podem patógenos de uma espécie conseguir infectar a outra. E o real motivo dos saltos de hospedeiros ser algo tão perigoso. Veja neste artigo como os vírus de animais são transmitidos para humanos.

Transmissão de vírus animais para Seres Humanos

No ano de 2017 aconteceu na cidade de Maryland nos Estados Unidos, um caso que deixou grande parte da população intrigada. Isso porque no mesmo ano aconteceu uma feira rural. Onde alguns porcos estão sendo premiados, mas os mesmos não pareciam estão muito bem. Dessa forma alguns agricultores que perceberam a situação disseram que os porcos estavam febris e apresentavam inflamação nos olhos e congestionamento dos focinhos. Porém, após as autoridades responsáveis pela feira voltarem sua atenção para os porcos. O departamento de saúde da cidade estava muito preocupado com o grupo de visitantes que estava doente.

Publicidade

Sendo assim cerca de mais de quarenta visitantes receberam diagnósticos de gripe suína. Após ter contato com os porcos que estavam doentes. Mas, muitos dos diagnosticados também desenvolveram a gripe. Apenas pelo fato de passar perto dos porcos durante e exposição da feira. Contudo, o grande problema se deve pelo fato de os vírus serem uma espécie de parasita orgânico capazes de infectar qualquer forma de vida. Dessa forma eles precisam passar por três etapas para conseguirem sobreviver e se reproduzir como hospedeiro.

Passos Para o Vírus Sobreviver

Primeiramente precisam entrar em contato com um hospedeiro que seja suscetível. Logo após precisam infectar e replicar-se dentro do mesmo. E por fim precisam realizar a transmissão para outros seres com vida. Sendo assim o vírus de hospeda, evolui e no final se torna transmissível para outros indivíduos.

Por exemplo, se analisarmos a gripo humana, podemos perceber que primeiramente o vírus encontra um hospedeiro para habitar. Mas, quando ele encontra esse hospedeiro avança por meio de todo sistema respiratório dos seres humanos. Mas essa não é a fase mais difícil, isso porque eles ainda precisam sobreviver no novo corpo que se hospedaram. Além disse antes de serem capturados pelo sistema imunológico os vírus precisam criar uma infecção no corpo. Contudo para que os vírus consigam realizar essa tarefa no hospedeiro, precisam evoluir algumas interações especificas ligada com a própria espécie que está hospedando.

Isso porque os vírus contidos na gripe humana possuem uma cobertura de proteínas adaptadas para conseguir ligar receptores que correspondam as celular responsáveis pela respiração. Quando os vírus conseguem ficar dentro dessas células, ele usa algumas adaptações para que o sistema reprodutivo da células replique seu próprio material genético. Portanto, agora esse vírus apenas precisa suprimir ou basicamente evitar o sistema imunológico por um determinado tempo até que consiga replicar em grandes níveis a infecção de mais células.

Quando o vírus consegue realizar todas essas ações sobre o corpo humano, a gripo pode ser transmitida para uma próxima pessoa. Além disso essa transmissão pode acontecer por meio de qualquer tipo de fluido corporal que esteja com contaminação.

Transmissão de vírus

Quando um ser humano fica infectado por alguma espécie de vírus, a transmissão para outras pessoas pode acontecer bem facilmente. Afinal por meio de um simples espirro o vírus pode conseguir entrar em contato com uma vítima. Além disso eles conseguem se transmitir por meio de animais de estimação e até mesmo de algumas plantas. Isso porque os vírus estão sempre buscando novas espécies de vida para tentar infecta-las.

Mas na grande maioria das vezes essa tentativa de transmissão em massa não encontra grande sucesso. Isso se deve pelo fato de em grande parte das vezes o vírus não encontrar dissimilaridade genética entre os hospedeiros pois é muito grande a diferença. Por exemplo, um vírus que já esteja migrado nas células de um ser humano dificilmente vai conseguir sucesso em migrar suas celular para uma planta.

Reprodução

Contudo existe uma alta quantidade de vírus que está apenas circulando no ambiente. Além disso esses vírus possuem uma alta potencia de força para conseguir encontrar novos hospedeiros para se desenvolver. Mas, para se tornarem ainda mais assustadores, os vírus podem conseguir se reproduzir em milhões de forma muito rápida. E também podem conseguir desenvolver várias mutações aleatórias com muita agilidade.

Publicidade

Desse modo para que um vírus consiga se adaptar a outro mamífero e conseguir infectar um ser humano, ele precisa realizar algumas mutações e sorte para que não morra. Mas vele ressaltar que se um vírus estiver adaptado ao corpo de um chipanzé, que possuem parentela genética com os seres humanos. As chances de conseguir infectar uma pessoa são bem maiores, afinal não necessitaram de grandes alterações para se adaptarem ao corpo humano.

Porém as chances de conseguir desenvolver uma genética destrutiva acabam aumentando muito no decorrer do tempo. Ou seja, é como se a nova espécie infectada estivesse muito relacionada ao hospedeiro usual do vírus, que acaba sendo um grande problema.

Considerações finais

Por fim, podemos concluir que é necessário ter bem mais do que tempo. E semelhança genética para que aconteça o salto de um hospedeiro de forma que sua ação seja bem-sucedida. Mas existem alguns vírus que já possuem a formação adequada de conseguir infectar com facilidade as células de um hospedeiro novo. Contudo esses mesmos vírus são incapazes de escapar de uma resposta de imunidade ao hospedeiro.

Ou seja, mesmo que eles consigam fazer o sangue do hospedeiro se tornar contagioso, a sua saliva ainda continua imune. Mas quando um vírus realiza um salto de hospedeiro acaba atingindo um outro estagio de transmissão. Isso é, o vírus acaba se tornando mais potente e perigoso. Sendo assim quando o vírus fica gestando dentro de dois hospedeiros, o patógeno por sua vez acaba dobrando suas chances de obter mutação bem mais eficaz. Dessa maneira, a cada novo hospedeiro infectado a suas chances e potencial aumentar para conseguir realizar uma epidemia completa no hospedeiro.

Veja também:

Saiba o Porque Que os Músculos Geram Cansaço

Publicado em: 18 de dezembro de 2019

Relacionados

Deixe seu comentário

© Copyright UalBr 2020. Todos os direitos reservados.

Este Blog Utiliza o cookies para garantir que você tenha uma otima experiência. OK | Mais informações